Arquivo do mês: dezembro 2012

Oficiais Bombeiros exigem cumprimento de liminar da Justiça

 

Quero mais uma vez prestar minha solidariedade às famílias dos 18 militares do Corpo de Bombeiros Militar do Pará que foram promovidos no governo passado, exerceram as funções de oficiais por um ano e meio, já nesta administração, e acabaram tendo suas promoções retiradas, este ano, pelo governo. Além disso imediatamente o governo começou a fazer os descontos nos salários quer, em chegam a R$ 1 mil e até R$ 2 mil.

Isso porque o governo do Pará está descumprindo uma liminar da Justiça desde julho deste ano quando a juíza Cynthia B. Zanlochi Vieira, da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital, mandou o Estado promover novamente a oficiais.

As mulheres desses oficiais é que tem saído por aí lutando em favor dos maridos proibidos de se manifestar por causa da condição de militares. Na quarta-feira da semana passada elas foram até o Conselho Estadual de Segurança Pública. Elas querem que pelo menos os descontos parem de ser feitos – “eles trabalharam, exerceram cargos, não tem porque descontar”, argumentam.

Mas, segundo o comandante dos Bombeiros, o curso que eles fizeram não teria validade, embora tenha sido realizado pela PM do PA para formação de oficiais da PM do AP, então queles oficiais também deveriam perder os seus cargos naquele estado?.

A Justiça entende que não e mandou reintegrar os oficiais ao cargos, no dia 25 de julho, e eles já deveriam estar novamente exercendo seus cargos.

Em 2010, esses oficiais fizeram o curso para oficial no Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará (Iesp), por serem os únicos que já tinham sido aprovados em concurso interno dos Bombeiros, em 2008.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Parabéns para a UFPA pelo exemplo de democracia

Quero mandar aqui um recado especial aos 50 mil servidores, estudantes e professores da Universidade Federal do Pará (UFPA) que escolhem pelo voto direto, nesta quarta-feira (5), o reitor e vice-reitor  para o quadriênio 2013-2017.  Votem, aproveitem a oportunidade de participar desse exemplo de democracia que a comulnidade acadêmica da Universidade dá a todos.

O processo de consulta é um avanço para a consolidação da autonomia universitária, uma bandeira de luta histórica dos movimentos sociais do ensino superior . O conhecimento lá produzido, em todas as áreas, tem servido de referência na elaboração de muitas políticas públicas e também na parceria com os governos e o terceiro setor por meio de vários projetos de extensão universitária.

Pela primeira vez, desde que a consulta foi instituída, apenas uma chapa – “Pra fazer ainda melhor”, encabeçada pelos atuais reitor e vice-reitor da UFPA, professores Carlos Edílson de Almeida Maneschy e Horácio Schneider –  está inscrita na eleição.

A Universidade tem papel fundamental na superação das mazelas que afligem nossa cidade, colocando milhares de profissionais nercado de trabalho, todos os anos, após concluírem seus estudos em uma das suas unidades acadêmicas.

Pedi que sejam notificados da decisão da Câmara, por meio de ofício, o reitor da UFPA, professor Carlos Edílson de Almeida Maneschy, o vice-reitor, Horácio Schneider, todos os pró-reitores, coordenadores e diretores gerais, além da Associação dos Docentes da UFPA – Adufpa, do Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino Superior no Estado do Pará – Sinditifes e do Diretório Central dos Estudantes da UFPA.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias